Eco, 2018

instalação: áudio + objeto

Eco é um díptico composto por um áudio e por um livro "apagado", "riscado", "censurado": nele pulsam apenas as ocorrências da palavra "coração".

Parti da experiência íntima da grávida que ouve o coração batendo pela primeira vez no ultrassom para uma pesquisa sobre a presença da palavra "coração" na poesia brasileira. Dessa pesquisa, selecionei um livro para apagar e expor:
abaixo algumas imagens do livro já "apagado" e o áudio montado que reúne poema + sons diversos, do ultrassom, do cancioneiro e de poetas lendo. O trabalho participou de uma mostra coletiva no:


           - Centro de Arte Hélio Oiticica, com curadoria de Pollyana Quintella, em abril de 2018

 

Por fim há essa anedota sobre o poeta João Cabral de Melo Neto em um encontro com Vinicius de Moraes em que Cabral teria cobrado de Vinícius o excesso de coração na poesia e cancioneiro do colega: "você não sabe cantar outra víscera?"

Para quem disse que não falo de coração, agora sou sentimental.

rejuvenesca-post-artistas-01 (1)

images (1)

IMG_6749

IMG_6777

IMG_6774

  • Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Icon
  • Twitter
  • YouTube